Curso de viola caipira forma novos músicos em Pinda

Você já se imaginou comprando um instrumento musical que nunca viu para começar a tocar? Isso foi o que a produtora rural Solange Finco fez ao saber das aulas de viola caipira pelo Sindicato Rural. “Comprei uma viola usada na internet, me inscrevi e vim pra aula”. O curso de 3 meses realizado pelo Sindicato Rural em parceria com o SENAR ensinou teoria e prática aos participantes.

 

Ela afirma que nunca tinha visto uma viola de perto, antes de começar a tocar. “Toquei um pouco de violão clássico quando era criança, mas, nem lembrava mais como era. Estou muito feliz, porque aprendi a tocar o instrumento, além de ser uma grande terapia”, comemora.

O curso básico de 3 meses, é voltado a quem nunca pegou no instrumento, dividido entre teoria e prática, as aulas aconteceram 2 vezes por semana , durante 3 meses. “Como é um curso voltado a quem nunca tocou, começamos do básico mesmo e quem já sabe um pouquinho acaba ajudando nas aulas”, comenta o professor Frederico Dagoberto Vilela de Araújo.

O professor explica que a classe é bem heterogênea. “Cada um chegou em um nível. Alguns nunca tinham visto o instrumento, outros já arriscavam alguns acordes e outros, já sabiam tocar um pouco. Mas, isso não é problema, ajustamos as aulas para a necessidade de cada um e isso faz com que conquistem resultados positivos”, salienta o professor.

A aluna Pedrina Fatima Garcia Minari, também aprovou as aulas. “O professor é bem didático, ele ensina a todos de uma maneira simples e fácil de entender”, comenta. Pedrina já faz aulas de violão e também se encantou pela viola. Para participar das aulas comprou uma viola usada que não funcionou muito bem e então, comprou outra nova, para então participar das aulas.  “A música faz bem pra alma e aproxima as pessoas”. Pedrina segue animada e diz que vai continuar a estudar sozinha, mesmo depois do término das aulas.

De acordo com o professor, todos podem aprender, mas, é preciso dedicação e foco nas aulas. “Escolhemos um repertório que seja do conhecimento dos alunos, assim fica mais fácil aprender. Os exercícios e um pouco de descontração também ajudam”.

Para o aposentado Benedito Nelson de Souza as aulas estão sendo muito produtivas. “Faz tempo que me interesso pelo instrumento e quero aprender. Até já fiz aulas, vejo vídeos pela internet, mas, ao vivo assim é bem melhor”. Nelson conta que ele tem adoração pelo instrumento e que desde 2016 vem estudando e tentando melhorar a técnica e o ritmo. “Eu venho estudando bastante, já domino os ritmos, conheço bastante a parte histórica, conheço alguns acordes. É um instrumento que não pode ter pressa pra aprender “, comenta. Os olhos brilham ao falar do instrumento, que segundo ele, é muito mais que isso. “A viola tem alma, ela sofre, chora, estica, encolhe, não consigo passar um dia sem estar com ela”, concluí.

O curso que termina agora no mês de maio vai deixar saudade entre os participantes. “Pretendo continuar a estudar, porque as aulas me fizeram muito bem e estou amando aprender”, conclui a aluna Solange.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *